terça-feira, 6 de novembro de 2012

Jonathan Edwards – Um Homem Igual a Nós

Jonathan Edwards – Um Homem Igual a Nós (2/3)      


Entenda que Você Pertence Completamente a Deus

Enquanto Edwards estava servindo na igreja Presbiteriana em Nova York, ele experimentou uma renovação solene das promessas que ele fez em seu batismo. Esta dedicação a Deus envolveu cada face do ser de Edwards: “Não consigo desafiar de maneira alguma este entendimento, esta vontade, estes afetos que residem em mim; nem tenho eu qualquer direito a este corpo, ou a qualquer um destes membros: nenhum direito a esta língua, estas mãos, nem estes pés; nenhum direito a estes sentidos, estes olhos, estes ouvidos, este olfato ou o paladar. Entreguei-me por completo… Estive com Deus esta manhã e disse a Ele que me entreguei plenamente a ele.”[7]
 
Este tempo de dedicação pessoal a Deus teve um profundo impacto sobre Edwards. Por volta do mesmo período, Edwards pregou o sermão sobre a “dedicação a Deus”. Ele dissertou que o “oferecer nós mesmos a Deus” era o “maior de todos os deveres de um cristão”. A razão mais coerciva para a dedicação de Edwards a Deus era que “se você se entrega a Deus, ele também se entregará a você. Você entrega a si mesmo a ele para ser seu servo; ele entregará a si mesmo para você para ser sua porção e alegria perpétua, e portanto, você terá certeza da glória eterna, por causa da infinita origem e fonte de glória eterna que já pertence a você”.[8]
 
Este entendimento de que ele pertencia plenamente a Deus guarneceu a Edwards com uma firme base para a certeza e a segurança. Em determinado ponto de seu sermão, ele proclamou que aqueles que foram entregues totalmente a Deus “podem [estar] certos de seu amor e favor, certos de sua direção em todos os seus caminhos, certos de que nenhum mal sobrevirá sobre você, certo de que o que quer que sobrevir sobre você é para o seu bem”. Edwards percebeu que a confiança de que Deus em Cristo está operando todas as coisas para pela nossa salvação nos capacita a “repousar e descansar calma e seguramente no meio das tempestades e tormentas, sem temor algum, sabendo que você está nas mãos de Deus onde nada pode lhe machucar.”[9]
 

Lembre-se de Que a Santidade Vem pela Graça

Com toda sua “violenta” luta pela santidade, Edwards às vezes parecia demonstrar a tentação para ganhar a santidade por obras, ao invés de pela graça. Seu diário estava cheio de lembretes repreensivos de que sua condição espiritual dependia sobre a autonegação ao comer, beber, e dormir; que ele não estava usando adequadamente seu tempo para a glória de Deus; e que ele precisava dedicar ainda mais tempo à oração em particular. Ao concentrar-se nestes exercícios de autonegação, fixando os olhos em seu interior, os sentimentos piedosos de Edwards declinavam e aumentavam.
 
Em um período de duas semanas no fim de 1722, sua espiritualidade foi de um extremo a outro. Tal registro ocorreu ao longo de seu diário, marcando sua temperatura espiritual. Ao engajar-se nesta espiritualidade introspectiva neste ponto de sua vida, Edwards aparentava reunir sua procura apaixonada pela glória de Deus com a retidão diante de Deus.[10]
 
Para ser justo, em seus melhores momentos (ou momentos de frustração com sua rigorosa prática espiritual) Edwards reconheceu que sua santificação poderia apenas progredir através da obra do Espírito Santo. Por volta do mesmo tempo, Edwards renovou sua aliança batismal e entregou-se novamente a Deus, e também confessou em seu diário que “Descobri pela experiência que, quer eu faça resoluções, e faça o que eu quero com quaisquer que sejam as invenções, isto tudo não é nada, e é completamente sem propósito, sem as moções do Espírito de Deus.”[11]
 
Além disso, Edwards mais tarde reconheceu que seu constante autoexame e planejamento para santidade ocorreu “com dependência grande demais de minha própria força; que no final das contas se provou um grande dano para mim”. Conforme Edwards prosseguiu na vida cristã, ele aprendeu duas coisas: “minha extrema debilidade e impotência, em todas as áreas; e as inumeráveis e abismais profundezas de secreta corrupção e engano, que havia em meu coração”. A única solução verdadeira para o pecado remanescente não era a luta por vontade própria, mas “um senso mais pleno e constante da absoluta soberania de Deus, e um deleite nesta soberania… [e] mais de um senso da glória de Cristo, como mediador, conforme revelado no evangelho”. Se Edwards fosse fazer qualquer progresso na vida cristã, era devido somente à obra do Espírito de Deus motivado pela maravilhosa graça de Deus e enraizado no glorioso evangelho de Deus.[12]


[7] Diário, 12 de Janeiro de 1723, Cartas e Escritos Pessoais, Obras, 16:762.
[8]“Dedicação a Deus”, Sermões e Discursos, 1720-23, Obras, 10: 551, 559.
[9] Ibid., 558
[10] Diário, 21 de Dezembro de 1722; 22 de Dezembro de 1722; 24 de Dezembro de 1722; 29 de Dezembro de 1722; 1 Janeiro 1722-23; 2 de Janeiro de 1722-23, todos encontrados em Ibid., 759-60.
[11] Diário, 2 de Janeiro de 1722-23, Ibid., 16:760; Diário, 6 de Março de 1723, Ibid., 767.
[12]“Narrativa Pessoal”, Ibid., 16:795, 803.

Tradução: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/11/jonathan-edwards-um-homem-igual-a-nos-23/#ixzz2BResWJQ3



Divulgação:

 


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

(Vídeo) - Você é chamado para se tornar como Jesus Cristo, que era uma pessoa singular - David Powlison

David Powlison – A Santificação é Simples ou Complexa?            

 
David Powlison, membro do corpo docente do CCEF [Christian Counseling & Educational Foundation - Aconselhamento Cristão & Fundação Educacional] fala, no vídeo abaixo, sobre a absurda complexidade da santificação progressiva (crescer em santidade).
 

Duas Aplicações

Não seja simplista ao dar uma solução

Uma das coisas que mais me chamou atenção é quando Powlison chama a atenção para quando tratamos a santificação com métodos simplistas. Ele diz:
Penso que haja uma contínua tentação em cada coração humano, cada movimento eclesiástico, cada denominação, cada espécie de geração teológica, de tentar encontrar alguma maneira de… Talvez a frase tenha esta estrutura: “Se você apenas ____”, e preencher este espaço vazio, com “expulsar o espírito que está lhe escravizando”, “se você apenas se lembrar de que você é filho do Rei”, “se você apenas tiver mais tempo em devocional”, ou “se você apenas prestar contas para alguém”, ou “se você apenas repetir para si mesmo que você foi justificado pela fé”. Se você apenas, apenas, apenas…
 
E o fato é que não há “apenas ____” a respeito da santificação. Se houvesse, a Igreja teria descoberto há muito tempo atrás. Mas você frequentemente tem essas modas, essas tentativas de retratar algum segredo, onde eles possam colocar a santificação em uma simples frase.

Isso não significa que ter sua devocional diária não o ajudará no processo de santificação. Lógico que vai. Mas não é uma matemática simplista. Isso nos leva a sermos mais pacientes com o irmãozinho que está com dificuldades e mais grato por cada pequena vitória na batalha da santificação.

Utilize os livros dos Salmos e Provérbios em sua santificação

Algo que perdemos nos últimos tempos foi o uso do livro dos Salmos em nossa devoção. Contudo, como Powlison aponta uma pessoa que cresce em santificação, cada vez mais reage de forma bíblia às diferentes emoções que sentimos. Nesse ponto, o Saltério é um depósito precioso com toda sorte de diferentes emoções e se quisermos orar de forma bíblica quando estamos irados, deprimidos, alegres, arrependidos, etc. precisamos voltar a usar esse precioso e inspirado livro. Iremos, em breve, tratar sobre esse assunto com uma postagem de Franklin Ferreira.
Já o livro de Provérbios nos dá diretrizes de como agir, como povo de Deus, debaixo do temor e da sabedoria de Deus. Vale lembrar que este livro não contém uma série de promessas, mas uma série de máximas. “Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles” (Pv 22:6) não é uma promessa de que todo filho de pais crentes que o ensinaram no caminho será crente. Mas uma máxima que expressa a importância do ensino e expressa aquilo que normalmente acontece.
Que possamos a cada dia trilhar o caminho da santificação, o qual Jesus já dissera ser apertado.

Transcrição

A santificação progressiva é absurdamente complicada. Você é basicamente chamado a fazer algo que só pode ter sucesso quando Jesus Cristo aparecer e você o vir face a face, quando você será como Ele.
 
Penso que haja uma contínua tentação em cada coração humano, cada movimento eclesiástico, cada denominação, cada espécie de geração teológica, de tentar encontrar alguma maneira de… Talvez a frase tenha esta estrutura: “Se você apenas ____”, e preencher este espaço vazio, com “expulsar o espírito que está lhe escravizando”, “se você apenas se lembrar de que você é filho do Rei”, “se você apenas tiver mais tempo em devocional”, ou “se você apenas prestar contas para alguém”, ou “se você apenas repetir para si mesmo que você foi justificado pela fé”. Se você apenas, apenas, apenas…
 
E o fato é que não há “apenas ____” a respeito da santificação. Se houvesse, a Igreja teria descoberto há muito tempo atrás. Mas você frequentemente tem essas modas, essas tentativas de retratar algum segredo, onde eles possam colocar a santificação em uma simples frase.
 
Na verdade, a santificação tanto custa a sua vida quanto lhe dá a sua vida. É um morrer para o que seja intuitivo e natural, o que lhe foi ensinado, praticado, o que lhe foi estimulado, a escolha, o hábito… É morrer para estas coisas e aprender a se tornar um homem ou uma mulher que vive… (esta é uma das formas de dizer), que vive a honestidade e a integridade dos Salmos em sua plena variedade de estados de espírito (situações de alegria, tristeza, dificuldade, necessidade, protesto, gratidão), que você se torna esse tipo de integridade como um ser humano que vive diante da face de um Deus que deve lhe salvar. E você se torna um homem ou mulher dos Provérbios, em termos de sabedoria. Que é prático, amoroso, se preocupa com cada palavra que sai da sua boca, e considera o interesse de outros, considera o efeito de suas palavras em outras pessoas, ou o efeito de suas ações. É autorreflexivo sobre suas ansiedades, suas irritações, seus lamentos, etc.
 
Você é chamado para o impossível. É chamado para ser um tipo diferente de pessoa. Você é chamado para se tornar como Jesus Cristo, que era uma pessoa singular. E, dito isto, então o prazeroso drama de ser um cristão é que: “Minhas ovelhas ouvem a minha voz”, e aqueles que estão na vinha têm um Agricultor trabalhando. Há um Espírito que dá a vida, e há um Espírito que está comprometido a dar seus frutos, mesmo através de altos e baixos, contradições, paradoxos.
 
Penso que seria justo dizer que uma das mais significantes marcas de alguém que é um cristão, é que se você reparar nesta pessoa ao longo do tempo, você verá evidências de que Alguém mais estava trabalhando em sua vida. Esta é uma das coisas mais fantásticas.
 
Meu ministério principal é o aconselhamento pastoral, e é algo impressionante contemplar uma pessoa que tem ouvidos para ouvir as palavras de promessa, de esperança, de ordenança, de reprovação, as palavras de iluminação que fazem o mundo ter sentido. Ver uma pessoa que acordou para Deus, para Seus caminhos, para sua pecaminosidade e para a misericórdia de Deus.
 
Isso é algo que nos pega de surpresa e, ainda assim, de outro ponto de vista, é algo tão essencialmente simples que (e este é o coração do que é o evangelho), que há um Deus que se move em nós, há um Deus que se move em nossa direção, e Ele invade vidas. Uma das minhas favoritas citações sobre simplicidade e complexidade é uma velha citação de Oliver Wendell Holmes, e ele diz:
 
“Eu não daria um centavo pela simplicidade há deste lado da complexidade, mas daria minha vida pela simplicidade do outro lado da complexidade.”
 
E isso captura tão bem que a simplicidade bíblica lida com as complexidades.
 
Um exemplo que gosto de usar é que Jesus ao ensinar o faz de forma absolutamente simples. Como: “ou você serve a Deus ou a Mamon”. Ponto! Quantas palavras têm nessa frase? E ainda assim, esta frase coloca contra a parede todo ser humano que já viveu. Ela também nos chama ao Cristo que a proferiu, que é o Cristo que morreu por nós. E que nos transformará. E esta frase nos oferece uma visão que são progressivamente livres de serem obcecados de uma maneira ou outra por dinheiro, aposentadoria, coisas materiais, todos os joguinhos competitivos, inferioridade e superioridade nisto.
A simplicidade da Bíblia nunca torna nada simples e simplista. Ela sempre lida com todas as complexidades que a vida atira sobre você, e ainda assim lhe chama para este que é o mais impressionante dos relacionamentos. Para nosso Deus e depois para Seu povo. E então ele nos manda por todo Seu mundo, como um povo com uma missão. Pois é. Isso é simples! Realmente complexo, mas simples, no fim; o tipo certo de simples.

Por David Powlison © 2012 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: Is Sanctification Complex or Simple?
 
 
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/10/david-powlison-a-santificacao-e-simples-ou-complexa/#ixzz2ADOFQkI7



Divulgação:
 


sábado, 20 de outubro de 2012

David Platt – Porque “Aceite a Jesus em Seu Coração” é Supersticioso e Anti-Bíblico


 Estou convencido de que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente se esquecendo da vida de Cristo. Muito disso tem a ver com o que vendemos para eles como sendo o evangelho. “Faça esta oração, aceite a Jesus em seu coração, convide a Cristo para entrar em sua vida”. Não deveria nos preocupar que não existe tal oração supersticiosa no Novo Testamento? Não deveria nos preocupar que a Bíblia nunca usa as frases: “Aceite Jesus em seu coração” ou “Convide a Jesus para entrar em sua vida”? (David Platt)

Transcrição

Fazer discípulos é o transbordar natural, ou melhor, sobrenatural, de ser um discípulo. Proclamar o amor de Cristo é o transbordar de compartilhar da vida de Cristo.
Estou convencido de que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente se esquecendo da vida de Cristo. Muito disso tem a ver com o que vendemos para eles como sendo o evangelho. “Faça esta oração, aceite a Jesus em seu coração, convide a Cristo para entrar em sua vida”. Não deveria nos preocupar que não existe tal oração supersticiosa no Novo Testamento? Não deveria nos preocupar que a Bíblia nunca usa as frases: “Aceite Jesus em seu coração” ou “Convide a Jesus para entrar em sua vida”?
Não é o Evangelho que está sendo pregado. É um evangelismo moderno construído sobre areia movediça, que corre o risco de desiludir milhões de almas. É algo muito perigoso deixar que as pessoas pensem que são cristãs quando elas não responderam biblicamente ao Evangelho.
Se não tomarmos cuidado, nós vamos tirar o Evangelho que é o sangue do Cristianismo e colocar refresco no lugar para que seja mais agradável às multidões. Não é apenas perigoso, é condenável. Por causa disso, quando pensamos em fazer discípulos, pensamos apenas em sair e fazer com que as pessoas façam uma oração! Ou “espalhar isso”!
Não. Vamos lhes dar uma visão completa do Evangelho. Mostremos às pessoas a grandiosidade de Deus. Sim, ele é um Pai que nos ama! Ele é um Pai amoroso que nos salvará, mas Ele é também um Juiz enfurecido que nos pode nos condenar!
Por David Platt. © Copyright Verge Network 2012 , Todos os direitos Reservados. Original: Platt: why “accepting Jesus in your heart” is superstitious & unbiblical
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/10/david-platt-porque-aceite-a-jesus-em-seu-coracao-e-supersticioso-e-anti-biblico/#ixzz29zMt78DV




Divulgação:


sábado, 8 de setembro de 2012

Orações Puritanas - "Cristo é Tudo"




Ó AMANTÍSSIMO,

Que eu possa ler de como teu coração se consumiu por mim
na manjedoura do teu nascimento,
no jardim da tua agonia,
na cruz do teu sofrimento,
na tumba da tua ressurreição,
no céu da tua intercessão.
 
Encoraja-me com estes pensamentos a desafiar meu adversário,
driblar suas tentações,
resistir às suas ciladas,
renunciar ao mundo,
ser valente pela verdade.
 
Aprofunda em mim um senso de meu santo relacionamento contigo,
como noivo espiritual,
um mesmo com Javé,
amigo dos pecadores.
 
Penso na tua glória e na minha vileza,
tua majestade e minha maldade,
tua beleza e minha deformidade,
tua pureza e minha imundícia,
tua justiça e minha iniqüidade.
 
Amaste-me de forma infinita e imutável,
que eu possa te amar como sou amado;
 
Destes a ti mesmo por mim,
que eu possa doar-me a ti;
 
Morreste por mim,
que eu possa viver para ti,
a cada instante de meu tempo,
a cada movimento de minha mente,
a cada batida de meu coração.
 
Que eu nunca flerte com o mundo e suas seduções,
mas ande ao teu lado,
ouvindo a tua voz,
sendo vestido com tuas graças,
e adornado com tua justiça.

Tradução: Márcio Santana Sobrinho. Original: monergismo.com
Extraído de: The Valley of Vision: A Collection of Puritan Prayers & Devotions, editado por Arthur Bennett, p. 18.
 

Fonte: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/09/cristo-e-tudo-uma-oracao-puritana/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+voltemosaoevangelho+%28Voltemos+ao+Evangelho%29



Divulgação:

 



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

XXI SIMPÓSIO REFORMADO - OS PURITANOS 2012 d.C


BOTAO-INSC.ABERTAS.jpg
BOTAO-PALESTRAS-PRELETORES.jpg
BOTAO-LOCALdoEVENTO.jpg

Fonte: http://ospuritanos.blogspot.com/p/inscricoes.html

Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com


Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com